sexta-feira, maio 26, 2006

O "MAESTRO"



Eu sei que vocês não gostam muito que eu escreva acerca do meu BENFICA, mas este post hoje era impossivel não colocá-lo.

Jogues bem ou jogues mal para mim serás sempre o nosso (adeptos) rosto dentro das quatro linhas.

Que bem te fica essa camisola RUI!!!!!!!!!

PS.- Pessoal voltamos a ter concorrência, o blog whereinportugal está de novo activo.

quarta-feira, maio 24, 2006

Pasma mas contente

Peço a desculpa a todos mas tenho que apagar este post.
Quem leu, leu...

Beijos a todos

terça-feira, maio 16, 2006

IN THE NAVY!!!!!!!!

Existe aquele velho ditado “Quem corre por gosto não se cansa”, e para mim, não existe ditado mais com mais sabedoria que este, porque realmente quem tem gosto por correr (como é possível) nunca se pode cansar senão o ditado era “Quem corre por gosto é masoquista”.
Bem... e tudo isto porquê? Porque este fim de semana resolvi aceitar o desafio do “horadolanche”, “Fuss” e o “N” (já me andavam a chatear á algum tempo com isto) e este sábado acordei de madrugada para fazer uma incursão por esse “desporto” que é a VELA. Digo já aqui que eu, vela e ventos nunca foram coisas que combinassem muito bem e a coisa mais parecida com que tive contacto foi uma tarde inteira passada com uma prancha de Windsurf em que o máximo que consegui (embora ainda ache que consegui andar uns 2 metros á pessoal que diz que não) foi levar com o pau... ooops!!! Mastro nas costas.
Depois de ter surpreendido o pessoal com a minha presença logo pela manha (penso mesmo que tenha sido eu a acordar o “N”) sou eu surpreendido pela noticia que o pessoal pelos vistos ao fim de semana não toma o pequeno-almoço (epá !!! eu também não tomo mas porque nunca acordo antes da 13 horas) mas lá convenci o pessoal a beber pelo menos um café que acabei por não tomar (pu#& da maquina estava avariada).
Chegado ao ponto de encontro e depois de uma longa espera vem o “horadolanche” com a aquele sorriso nos lábios (como que a dizer que hoje é que é) e diz “Hoje vamos de raquero, hehehe!!” e com um saco na mão que mostra apenas ao “N”, ou seja, tudo sinais que nada de bom vinha aí. Fingi que “no passa nada” e lá fomos, chegado á marina olhei para a barcaça comecei a imaginar aquele pessoal todo lá dentro (tudo pessoal “ligeiro”) e uma sensação de arrepio atravessou todo o meu corpo (talvez já a imaginar o banho que iria tomar quando o barco virasse) quando vi o “horadolanche” a entrar na embarcação.
Montámos o pau....ooops... mastro, os fios ooops... cabos e o leme (este acertei á primeira hehehehe) e lá fomos.... quer dizer.... íamos se houvesse vento (eu bem disse que eu não me dava bem com o vento), depois de algum tempo resolvi vasculhar a parte da frente ooops... proa encontrei um remo e tentei convencer a malta a utilizá-lo, bem... iam –me matando por ter dito tal ultraje, para quem não sabe ficam já a saber utilizar remos num barco á vela deve ser a ultima solução.
Obviamente que depois de se terem rendido ás evidencias tiveram que o utilizar e após hora e meia !!!!!! saímos do porto e não é que o vento resolve aparecer nessa precisa altura (eu disse que não me dava bem com o vento, eu disse!!!) e lá fomos nós “caça á direita”, “folga á esquerda”,”orça”, “vai para a esquerda”, “fica no meio”, IRRRAAA!!!! Que um gajo não pára dentro daquele barco.
Depois outra coisa engraçada é as teorias acerca o bom velejar, todos têm a sua e quando algo não resulta é porque “algo” de anormal se passou. Eu imagino estes meninos em competição (só deve faltar arrancar olhos).
São quase 15 horas e a tripulação recebe mais um reforço, é a parceira do “horadolanche” (o espaço cada vez é mais diminuto com aqueles 5 magníficos ), a fome é mais que muita e resolvemos ir buscar guarnição ao “café preto”, faz-se uma 1ª tentativa de fazer subir o fino ooops... patilhão sem resultado, “no problemo” faço-me ao mar e vou buscar alimento para aqueles “marujos”. À vinda (já de barriga cheia, ufa!!!) fico na praia á espera que o “raquero” me venha buscar, começo a avistá-lo lá ao fundo, lá fundo, fundo, cada vez mais perto, aí vem ele.... e que nem uns fuzileiros fazem uma abordagem á praia... CLAKKKK!!!! Houve-se vindo debaixo de agua, quando se dá por isso o fino ooops... patilhao está ao lado do barco (para quem não sabe, patilhão é a aquela coisa fina e comprida que está por debaixo do casco). Toca a arranjar (provisoriamente) a embarcação e ala que é cardoso.
Próxima etapa, tirar o barco da agua, e arranjar o casco, bem... foi aqui que me pirei porque quem corre por gosto não se cansa e eu ainda hoje não posso com a porra das pernas.

quinta-feira, maio 11, 2006

whereinPortugal

Pois, é pela boca morre o peixe como costumo dizer...
E a verdade é que por motivos diversos deixei de ter tempo para escrever no WhereInPortugal, ao que todos se queixaram e acharem mal e resolveram criar assim o whereInSesimbra.

Gostei bastante da ideia e do passo que foi dado pois mostrava que pelo menos tinha servido para que a malta tomasse iniciativa para fazer qualquer coisa. Mas a verdade é que pasados alguns meses, tá tudo parado, nada de Posts nem comentários.

Esperava mais dos meninos e meninas....

Cumprimentos,

M.

quarta-feira, maio 03, 2006

CALA-TE BOCA !!!!!!!!

Antes de tudo queria deixar aqui as minhas humildes desculpas por este mês (fatídico em todos os aspectos) de Abril não ter sido colocado um único post. É que tinha prometido a min mesmo que iria estar um mês sem escrever aqui a ver se alguém se dignava a colocar um post, pois..... o facto é que nem UM ÚNICO COMENTÁRIO sequer!!!!!!!! Sete gajos(as) e nenhum se dignou a escrever seja o que fosse, para vocês (contribuintes) só tenho 4 palavras – IDE-VOS FODER E..........MAL!!!!!!!!!

OK........ agora que já desabafei cá vai:

Não sei se vos já aconteceu (a min estas merdas acontecem ás “carradas”),de uma conversa normalissima conseguirem transforma-la num pesadelo do qual não conseguem sair (ou então por mais que tentem só pioram a situação). O caso que vou relatar não se passou directamente comigo, mas sim na mesa onde estava.
Ora portanto, estava eu com a minha “dama” no café (não, não é esse q estão a pensar) quando chega um jovem que a malta já não via á algum tempo, o pessoal cumprimenta-se com aquela conversa da praxe “como vais”, “o q é que tens feito”, enfim o normal.... mas o pessoal já sabe que elas (as mulheres) querem saber sempre mais e dispara a seguinte frase :
então como é que vai a tua mulher?” (impressionante como uma frase que parece tão inofensiva ir despontar uma bola de neve...)
Ao que ele, que já estava de costas prontos a entrar no bar, volta-se com um ar de desconfiado e surpreso por tal pergunta e diz :
mulher!!!?? Já tou separado á quase um ano”, ok até aqui nada de grave, normalmente um homem dizia “Ah, não sabia” e acabava aqui a conversa, mas naaaaaaaaão elas teem que ir ao fundo poço arrancar mais alguma coisa, portanto siga para bingo:
mas... ainda este carnaval te vi com ela!!” ao que ele ripostou
pois....deves tê-la visto sim senhora, mas com o gajo por quem me trocou”. “o meu antigo chefe” , bem.... nesta altura os pontapés que eu dava por debaixo da mesa á minha parceira eram de tal forma repetitivos que ela se afastou e desferiu o golpe final
bem ... pelo menos tens a tua filhota” ao que ele diz
filha???? Ela não é minha filha....” (confesso que nesta altura só não soltei uma gargalhada devido a estar em completo transe, eu era pontapés na canela dela, eu mandava-lhe aqueles olhares para ela eu sei lá que mais )

Ok, apartir daqui ela apercebeu-se que a conversa realmente descambou e deixou de fazer perguntas (pois qualquer que fosse a pergunta corria o risco de piorar a situação) e então quando dei por min estavam cerca 4 pessoas a reconfortá-lo (possivelmente por uma coisa que já lhe tinha passado á muito).

Mais tarde , a caminho de casa fartámo-nos de rir com a situação e veio-nos logo á mente o “ex-libris” destas situações ocorrido ao nosso amigo sapo (ele se quiser que conte) á uns anitos atrás.

P.S.- Parece que o whereinportugal.blogspot.com vai voltar ao activo, cá estaremos á espera caro “m.”